Médica oncohematologista do Hemose destaca importância do cadastro de Medula Óssea

Uma palestra ministrada pela assessora técnica do Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose) a médica oncohematologista, Lourdes Alice Marinho, destacou a importância do Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome), coordenado pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca). A atividade na Assembleia Legislativa do Estado de Sergipe (Alese) atendeu o convite da deputada estadual, Maria Mendonça.
A medula óssea é constituída por um tecido líquido-gelatinoso localizado no interior dos ossos chatos, onde o organismo produz as células do sangue: glóbulos vermelhos, brancos e plaquetas. Os principais beneficiados com o transplante de medula são os pacientes com diagnósticos de leucemias (câncer de medula óssea), linfomas, algumas doenças autoimunes e anemias graves (adquiridas ou congênitas).
Na ocasião a assessora técnica do Hemocentro de Sergipe, prestou informações sobre o cenário geral do Registro Nacional de Doadores no Brasil e em Sergipe. Atualmente o Estado conta com 47.944 candidatos a doador, de medula óssea inscritos no banco dados e tem 98 pacientes inscritos no Registro Nacional de Receptores de Medula Óssea (Rereme) destes, cinco em busca ativa, buscando um doador compatível.
Para fazer a adesão ao Redome o voluntário vai assinar um termo de consentimento livre e esclarecido, preenche uma ficha com informações pessoais e  será retirada uma pequena quantidade de sangue, de 4 ml, para testes de Histocompatibilidade (HLA). O resultado desses testes fica armazenado no banco de dados do Redome e são cruzados com as informações dos pacientes que necessitam fazer o transplante. Ao ser constatada a compatibilidade, o doador é chamado para fazer exames mais detalhados e decidir quanto à doação de medula óssea.
Atualização
A assessora técnica do Centro de Hemoterapia de Sergipe destacou a necessidade de o doador voluntário manter os seu cadastro atualizado junto ao Registro Nacional. Essa revisão das informações pode ser feita no hemocentro ou através do preenchimento de um formulário no portal do Redome: www.redome.inca.gov.br/doador-atualize-seu-cadastro. “Para obter o êxito na localização do doador é fundamental manter os dados cadastrais atualizados no Redome”, ressaltou a médica.
Inscritos
Segundo ainda Lourdes Alice, no período de 2013 para 2019, Sergipe vem aumentando o número de pessoas inscritas ao Redome. Em 2013 foram realizados (877) cadastros, 2014 (4.458), 2015 (8.994), 2017 (6.613), 2018 (9.826) e ate abril de 2019 (1.715). “Esse momento é importante para debater as formas de esclarecer à população a importância de ser um doador de medula óssea e de manter seu cadastro atualizado”, conclui. Mais informações sobre o serviço através dos telefones: (79) 3225-8000, 3225-8039 e 3259-3174.