Author Archives: hemoseadm

Semana Santa: Hemocentro intensifica atividades para reforçar doação de sangues Rh negativo

Devido ao feriado da Semana Santa o Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose) reforça as ações para mobilização de doadores fidelizados de todos os grupos sanguíneos, com ênfase no O, A, B e Ab Rh negativo. O trabalho realizado pelo serviço de captação de doadores da unidade tem como finalidade garantir o atendimento transfusional de rotina e eventuais emergências durante o feriado.

A assistente social e gerente de Ações Estratégicas, Rozeli Dantas, explica o feriado da Semana Santa faz parte do calendário de atividades do setor, em que a captação atua para preparar os estoques do hemocentro através dos pedidos de doações para o feriadão. “Queremos convidar quem não doou sangue nos últimos três a quatro meses para vim doar e renovar seu ato solidário, comparecendo ao Hemose”, convida ao alertar que os doadores de sangue Rh negativos são essenciais em todo o processo. “Nesses feriados prolongados, aguardamos o apoio de todos”, salienta.

Ela ressalta que a colaboração de toda a população doadora é essencial para manutenção dos estoques de sangue e demais hemocomponentes para Rede Hospitalar do Estado. “Esses feriados mais longos, com duração de quatro a cinco dias, são delicados devido ao aumento do fluxo de pessoas nas estradas. Esse trabalho é preventivo para o caso de haver necessidade”, lembra Dantas.

Para atender de forma diferenciada o doador que não viaja e também, realizar a renovação de estoques de plaquetas, componentes do sangue que tem período de validade de cinco dias, o Hemose funcionará com horários diferenciados na próxima semana. “Como o serviço não funciona no feriado da Sexta-Feira da Paixão, dia 19, no sábado de Aleluia, dia 20, iremos abrir para doação de sangue no horário das 7h às 11h. As pessoas que tiverem disponibilidade poderão comparecer ao serviço”, informa a gerente de captação.

Doação

Qualquer pessoa pode doar sangue, desde que esteja em boas condições de saúde, tenha mais de 50 quilos e esteja na faixa etária de 16 a 69 anos. Os menores de 18 anos devem apresentar uma autorização dos pais ou responsável legal. A unidade funciona diariamente de segunda à sexta-feira, das 7h30 às 17h. Mais informações por meio dos telefones: (79) 3225-8000, 3225-8039 e 3259-3174.

Hemose destaca requisitos para segurança transfusional durante capacitação

Profissionais dos hospitais de Nossa Senhora do Socorro e de Riachuelo, participaram de uma capacitação, na quarta-feira, 10, sobre os processos de preparação para transfusão sanguínea. A atividade de educação em saúde integra as ações do calendário de qualificação profissional promovidas pela gerência da Hemorrede, do Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose).

O treinamento foi aberto com as explicações prestadas pelo biomédico Jandson Marques, que destacou a importância de coleta da amostra de sangue com a identificação correta do paciente, e os testes de imunohematologia que antecedem a transfusão, Sistema  ABO, RH, prova cruzada, prova reversa e pesquisa de anticorpos irregulares (PAI). Ele também falou sobre o correto preenchimento da Solicitação Nominal de Hemocomponentes (SNH).

“Após a coleta da amostra os tubos de ensaios devem ser devidamente identificados para não ocorrer o risco de registrar um dado incorreto. Também é importante esse mesmo cuidado para os testes pré-transfusionais. Esses procedimentos são a primeira fase para realização do procedimento bem sucedido”, ressaltou Marques.

Na segunda etapa das atividades, os técnicos e enfermeiros receberam orientações sobre o ato transfusional  e os tipos de reações.  O enfermeiro Rodrigo Damasceno falou sobre avaliação clinica e transfusional do paciente, solicitação de componentes do sangue, plaquetas, hemácias e plasma, instalação, acompanhamento de infusão, detecção de reação transfusional e garantia de hemovigilância.

“As solicitações para transfusão de sangue ou componentes são feitas exclusivamente pelos médicos, em formulário de requisição especifico, que é a SNH e deve conter todas as informações para a correta identificação do paciente que irá receber a transfusão sanguínea”, alertou o enfermeiro ao frisar que a medida visa garantir segurança ao ato transfusional.

O treinamento encerrou com apresentações relativas aos cuidados no manuseio dos hemocomponentes, tempo de validade para seu uso, cuidados com armazenamento e transporte para os hospitais.

Capacitações

Para mais informações sobre treinamentos em hemoterapia dos serviços de saúde públicos e privados do Estado de Sergipe, é necessário entrar em contato com a gerência da Hemorrede, no Hemose, de segunda a sexta-feira, no horário, das 8h às 16h, através dos telefones: (79)3225-8000 e 3225-8071.

 

Hemose: Sentimento de solidariedade estimula doação de sangue regular

A funcionária pública aposentada Marilene Candeias dos Santos doou sangue por mais de uma década. A cada quatro meses, intervalo previsto na legislação para doação feminina, ela comparecia ao Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose) para renovar seu ato de solidariedade e, agora, ao atingir a idade limite de 69 anos, ela se despediu do serviço. “Deixo a doação com a sensação de missão cumprida, pois sei que ajudei a salvar muitas vidas”, declarou.

Ela Revelou que passou a entender a importância do ato em função da atividade profissional. Marilene é oficial administrativo, no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse).  “O contato diário com os familiares de pacientes e os colegas no serviço, foi que me despertou para ser doadora. Agora vou ajudar, buscando incentivar as pessoas  para doação voluntário de sangue “, destacou Candeias.

A gerente de Ações Estratégicas do Hemocentro de Sergipe, Rozeli Dantas, ressaltou que o compromisso da doadora, deve e pode ser seguido por outros voluntários. “Marilene foi um exemplo, ela realizava pelo menos três doações durante o ano”, lembrou ao explicar que o critério para doação de sangue de 16 a 69 anos de idade no Brasil, foi estabelecido através do Regulamento Técnico de Procedimentos Hemoterápicos da portaria 1.353, de junho de 2011, do Ministério da Saúde (MS).

De acordo com a gestora da Captação, a atitude da doação é essencial  para manutenção do atendimento da demanda transfusional rede hospitalar do Estado e, para isso, precisa de doadores frequentemente. “A necessidade nos hospitais é diária por conta dos mais diversos procedimentos que utilizam o sangue. São pacientes em tratamento oncológico, com diagnóstico de leucemia e ainda tem as cirurgias de grande porte, como cardíacas e ortopédicas”, concluiu.

Doação de sangue

Estão aptos a doar sangue candidatos em bom estado de saúde, idade entre 16 a 69 anos e peso superior a 50 quilos. Menor de 18 anos somente com termo de autorização dos pais ou responsável legal. É necessário portar documento de identidade original e com foto válido em todo território nacional. Mais detalhes sobre o serviço de doação, palestras e hemotur, através dos telefones (79) 3225-8000, 3225-8039 e 3259-3174.

 

Hemose: Capacitação destaca importância da higienização das mãos em serviços de saúde

O processo de lavagem das mãos é uma atitude simples e rápida para prevenir a transmissão de infecções como gripe, conjuntivite e dor de garganta. Nesta terça-feira, 9, os profissionais do serviço de Coleta e do Ambulatório, do Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose) participaram de um capacitação sobre as técnicas de higienização das mãos nos serviços de saúde.

A atividade coordenada pela equipe do Ambulatório tem como objetivo reforçar a importância das boas práticas de higienização para minimizar os riscos de infecções para doadores, pacientes e os profissionais de saúde. “As mãos são a principal via de transmissão de microrganismos. Vale lembrar que a pele humana é um meio condutor de diversos germes, que podem ser transferidos no contato de pele com pele, ou através do contato com objetos e superfícies contaminados”, alertou o biomédico, Weber Santana Teles.

Responsável pela palestra, a biomédica Paloma Dias Pádua, apresentou os tipos de higienização das mãos, que devem ser adotados pelos profissionais que trabalham no hemocentro de Sergipe.  Ela explicou que cada procedimento cumpre um tempo regulamentar, que varia conforme a rotina, podendo ter duração de 20 a 60 segundos, como também, de 3 a 5 minutos.

Na ocasião a biomédica falou que uma das técnicas, é relativa à lavagem simples com água e sabão, indicada quando as mãos estiverem visivelmente sujas, ao iniciar a jornada de trabalho, após utilizar o banheiro e antes do preparo de medicamentos. “Esse tipo de lavagem deve ser usada pelos profissionais que preparam medicamentos para infundir nos pacientes que vem ao Hemose receber transfusão de componentes do sangue e pacientes portadores de coagulopatias, como os hemofílicos”, pontuou.

Já a higienização com o uso do álcool concentração de 60% a 80%, é indicada quando as mãos não estiverem visivelmente sujas, antes e após o contato com o paciente, antes e após a utilização de luvas. “Mesmo sabendo que as luvas tem a finalidade de proteger o profissional de contaminação, pode ocorrer micro furos ou até mesmo perda de usa integridade”, concluiu Pádua.

 

Equipe ‘Aventureiros de Sergipe’ colabora com doação de sangue

A atleta Nailda da Silva junto com as companheiras da equipe, Aventureiros de Sergipe participou da ação solidária para colaborar com o serviço de doação de sangue, no Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose). “Meu sangue é raro, sou O negativo, por isso vim fazer minha parte. Entendo que ajudar ao próximo é uma forma de cidadania”, disse.
Presente a iniciativa, Edmeia Santos destacou que ao longo do ano o grupo realiza diversas atividades sociais, com o propósito de estimular a prática de esportes e assim melhorar a qualidade de vida. “Participamos de corridas, mas têm outros membros da equipe que praticam o ciclismo, o importante é movimentar o corpo. A ideia da doação de sangue foi pensando em ajudar as pessoas”, ressaltou.
Segundo a gerente de Ações Estratégicas, Rozeli Dantas o serviço de doação de sangue e o cadastro de medula óssea estão despertando o interesse das pessoas. “Temos instituições fidelizadas que organizam as campanhas a cada três ou quatro meses. Também tem os grupos que decidem reunir seis a dez participantes para vim ao Hemose doar sangue”, contou ao explicar que nessas ocasiões os profissionais da Captação aproveitam para prestar orientações detalhadas. “A questão do uso de medicamentos, pequenas intervenções cirúrgicas e tatuagens são temas que geram dúvidas”, pontuou.
Ela relatou ainda que para se tornar um doador de sangue efetivo é preciso cumprir alguns requisitos básicos, por isso é importante um contato antecipado com o hemocentro. “As pessoas podem ligar nos telefones (79) 3225-8039 e 3259-3174, que prestamos esclarecimentos. Outro canal de informações é o site: www.hemose.se.gov.br, onde é possível ter acesso aos critérios para doar sangue e demais serviços”, alertou a assistente social.
Doação de sangue
Estão aptos a doar sangue candidatos em bom estado de saúde, idade entre 16 a 69 anos e peso acima de 50 quilos. Menor de 18 anos somente com termo de autorização dos pais ou responsável legal. É necessário apresentar documento de identidade original e com foto válido em todo território nacional. No dia anterior à doação é importante que o candidato tenha dormido bem pelo menos nas últimas 6 horas e não tenha ingerido bebidas alcoólicas nas 12 horas antes da doação. A coleta de sangue funciona diariamente de segunda à sexta-feira, das 7h30 às 17h.

Hemose realiza treinamento para manuseio de novo equipamento para coleta de plaquetas por Aférese

O Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose) unidade gerida pela Fundação de Saúde Parreiras Horta (FSPH) iniciou nesta quarta-feira, 3, o treinamento prático para operacionalização da nova máquina de Aférese, metodologia que permite separar do sangue total, apenas as plaquetas. A capacitação com a participação de técnicos de enfermagem e enfermeiros visa ampliar o conhecimento, sobre os processos de coleta.

Com o novo equipamento o Hemocentro de Sergipe, passa a operar com uma tecnologia de ponta que tem como benefício, o fato de ser portátil e proporcionar mais conforto ao doador, já que o procedimento é realizado com um acesso venoso único, ou seja, utiliza apenas um braço do voluntário.

“O aparelho também permite personalizar parâmetros oferecendo flexibilidade para adequar-se aos diversos perfis de doadores e ainda oferece a possibilidade de coletar plaquetas em bolsas simples e duplas”, destacou a assessora técnica para Gestão de Equipamentos da Fundação Parreiras Horta, Rita de Cássia Farrapeira.

Durante as aulas, teórica e pratica a enfermeira e consultora da Fresenius, Mércia Sampaio ressaltou que a máquina para doação de plaquetas por Aférese é de importância vital para os pacientes. “Com esse método é possível extrair de um único doador, o volume e quantidade de plaquetas idênticas, a de seis a oito doadores numa doação de sangue tradicional”, explicou ao informar que máquina opera com um kit composto pela bolsa e conectores, que são interligados entre o aparelho e o doador.

A infusão de plaquetas é recomendada para o tratamento de paciente portador de câncer, leucemias, anemias agudas e doenças do sangue como Anemia Falciforme. Também é solicitada para realização de grandes cirurgias, a exemplo do coração e torácica, e nas pessoas submetidas a transplante de medula óssea, dentre outros.

Aférese

Os critérios para ser um doador de plaquetas por Aférese é ter idade entre 18 a 59 anos e estar em bom estado de saúde. No momento da avaliação, feito por um profissional no Hemocentro de Sergipe é considerado candidato em potencial, o voluntário que doa sangue com regularidade, com peso acima de 60 quilos e que o exame de contagem de células seja acima de 200 mil plaquetas. . Mais informações junto ao serviço de Captação de Doadores através dos telefones: (79) 3225-8000, 3225-8039 e 3259-3174.

 

Hemose: Visita técnica verifica fluxos de serviços da agência transfusional em hospital de Itabaiana

Conhecer os processos de trabalho assistenciais realizados na agência transfusional do Hospital Regional de Itabaiana. Foi esse o objetivo da visita técnica realizada pela equipe da Hemorrede do Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose) para promoção da melhoria continua do atendimento transfusional aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).

Nas agências transfusionais são realizados serviços relacionados à prática hemoterápica, como o armazenamento de componentes do sangue – plaquetas, hemácias e plasma, testes para verificar compatibilidade entre a bolsa de sangue e o receptor, além de transfusões sanguíneas liberadas, mediante solicitação do médico da unidade hospitalar, com a retaguarda do Hemocentro de Sergipe.

Seguindo o roteiro de inspeção da Hemorrede, o biomédico Jandson Marques Menezes e o enfermeiro Rodrigo Damasceno, verificam os processos relativos à transfusão sanguínea como, o correto preenchimento da solicitação nominal de hemocomponentes, aplicação do produto, acompanhamento do paciente e registro de possíveis reações adversas no Sistema de Notificação em Vigilância Sanitária (Notivisa).

“O trabalho cumpre um calendário previamente agendado com os responsáveis pelos serviços.  Aproveitamos para discutir as necessidades do hospital, tiramos dúvidas sobre os procedimentos e nos colocamos a disposição para auxiliar o corpo clinico e administrativo sobre o cumprimento das normas técnicas e legislações vigentes”, confirmaram os profissionais.

Conforme a gerente da Hemorrede, Mariamalia Newton Andrade, ao final das visitas será produzido um relatório que é encaminhado para o gestor da unidade hospitalar. “Também analisaremos em conjunto com esses gestores a necessidade da realização de treinamentos e capacitações para o ato transfiusional, que visa um controle mais efetivo do uso do sangue e seus componentes. Essas capacitações serão dirigidas a todos os profissionais que atuam nos hospitais da iniciativa pública e privada”, destacou.

Serviço

De acordo com a portaria nº 2.712, de 12 de novembro de 2013, que redefine o regulamento técnico de procedimentos hemoterápicos, as instituições de assistência à saúde que realizem intervenções cirúrgicas de grande porte, atendimentos de urgência e emergência ou que efetuem mais de 60 transfusões por mês devem contar com, uma agência transfusional.

Hemose: Balanço registra 7.144 doações de sangue em três meses

O Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose) encerrou o primeiro trimestre do ano com saldo positivo nas doações de sangue para atendimento da demanda transfusional. No período de janeiro a março, foram registrados 9.049 cadastros com 7.144 coletas de sangue efetivadas. Após a coleta, análises e testes de compatibilidade, o sangue é fracionado em plaquetas, hemácias e plasma para pacientes em tratamento na rede hospitalar do Estado.

“Queremos agradecer e parabenizar os doadores e os parceiros pelo apoio constante ao serviço, através da multiplicação das informações sobre o importante ato de doar  e também as campanhas que colaboram com os estoques de todos os grupos sanguíneos”, destacou a gerente de Ações Estratégicas do hemocentro, Rozeli Dantas.

Com base nos dados do sistema hemovida durante os primeiros três meses do ano, a doação de reposição permaneceu com índice de maior participação entre os voluntários com 49%, em seguida vêm às doações frequentes, com 31% e as campanhas programadas pelos parceiros com 20%. “As doações de reposição são orientadas pelos médicos aos familiares dos pacientes para  realização de cirurgias eletivas do coração, ortopédicas, obstétricas, além de tratamentos de pacientes com leucemias e oncológicos”, detalhou a gerente.

A assistente social salientou ainda que o Hemose trabalha com o objetivo de captar e fidelizar doadores, para colaborar com o serviço cumprindo os intervalos preconizados pelas legislações e regulamentos técnicos que orientam o serviço de hemoterapia e hematologia. “De acordo com a legislação o homem pode doar sangue num intervalo de dois meses, não ultrapassando cinco doações ao ano. A mulher pode doar no intervalo de três meses, sem ultrapassar quatro doações ao ano”, detalhou Rozeli.

Para ampliar o acesso da população ao serviço de doação de sangue, o Hemocentro de Sergipe, disponibiliza para as instituições e empresas, os serviços de palestras motivacionais com apresentações de vídeos, distribuição de material informativo, visitas técnicas e agendamento para campanhas de doação de sangue e o cadastro de medula óssea.

A coleta de sangue do Hemose funciona diariamente de segunda à sexta-feira, das 7h30 às 17h. Mais informações sobre os serviços através dos telefones: (79) 3225-8000, 3225-8039 e 3259-3174.

 

Doadores criam ação ‘De Carona com o Bem’ para incentivar doação de sangue

‘De Carona com o Bem’ é uma iniciativa criada por um grupo de amigos para transportar voluntários dispostos a colaborar com a doação de sangue no Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose). Nesta sexta-feira, 29, um dos idealizadores da ação, o acadêmico de direito, Johnes Ferreira, esteve na unidade com um grupo de estudantes solidários.

Ferreira explicou que a ideia surgiu durante uma doação de sangue, realizada em setembro do ano passado. “Conversando com as pessoas observei que muita gente não vem doar, por questões mínimas, como uma companhia, o transporte ou medo. Foi assim que junto com uns colegas criamos um grupo no instagram, para disponibilizar o deslocamento das pessoas interessada em doar sangue”, contou.

O doador informou que o transporte solidário de grupos, com até oito pessoas, iniciado em dezembro, já realizou seis viagens. “A cada quinzena reunimos o pessoal e trazemos até o Hemose para ajudar quem precisa do sangue nos tratamentos. As pessoas nos seguem no perfil no instagram, informam quando tem disponibilidade e a agente se reveza no transporte até aqui”, detalhou Ferreira ao afirmar. “Estamos satisfeitos com o resultado até aqui e esperamos que mais pessoas possam se interessar pela campanha”, declarou.

A gerente de Ações Estratégica do Hemocentro, Rozeli Dantas ressaltou que a iniciativa é positiva e bem-vinda. “Ações como essa comprovam que os jovens estão mais conscientes de seu papel. Avalio a atitude desses amigos como um exemplo de solidariedade e também, de comprometimento, com a doação de sangue que atende toda a sociedade”, destacou a assistente social.

Serviço

Para ser um doador de sangue é preciso estar bem de saúde, ter entre 16 e 69 anos de idade, pesar mais de 50 quilos e apresentar um documento oficial com foto. Os menores de 18 anos precisam apresentar o termo de consentimento assinado pelos pais ou responsável legal. O documento está disponível para download no site do Hemose: www.hemose.se.gov.br. Mais informações através dos telefones: (79) 3225-8000, 3225-8039 e 3259-3174

 

Hemose: Instituições de ensino atuam como agente incentivador para doação de sangue

O trabalho de captação de doadores de sangue envolve sensibilização e conscientização sobre o ato regular da doação. Para ampliar o alcance do público envolvido com o serviço, o Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose) conta com parcerias como, o Instituto Federal de Tecnologia de Sergipe (IFS) que segue com um calendário de palestras em suas unidades de ensino na Grande Aracaju.

As ações para estimular a doação de sangue definidas pela gerência de Captação de Doadores e a diretoria de Assuntos Estudantis, iniciou na unidade do IFS localizado, no Marcos Freire I, em Nossa Senhora do Socorro. “Essa segunda palestra foi mais uma oportunidade tirar dúvidas junto aos alunos. Agora irei fazer um levantamento em todas as turmas dos alunos interessados em doar sangue. Definido esse quantitativo iremos agendar uma campanha e deslocá-los até o serviço”, informou o coordenador de Assuntos Estudantis, Lucas Santana Soares de Araújo.

Durante a atividade educativa a assistente social, Adineuza Cardoso, explicou que a doação de sangue requer o cumprimento de critérios básicos. “No hemocentro o candidato à doação passa pelo cadastro para realizar o registro de informações pessoais, em seguida segue para pré-triagem, onde é feito um teste do nível de ferro de sangue. Depois tem uma entrevista clinica e, se o candidato estiver apto, é liberado para efetivar a doação de no máximo 450 ml de sangue”, detalhou a profissional.

Em relação à divulgação sobre o detalhamento do serviço, a gerente de Ações Estratégicas, Rozeli Dantas salientou que as parcerias têm uma finalidade comum, ajudar a salvar vidas. “Diariamente recebemos contatos de empresas e voluntários para solicitar a realização de palestras, visitas técnicas e agendamento de campanhas para doação de sangue. Esse trabalho visa aumentar o número de doadores de sangue fidelizados ao serviço”, justificou.

Serviços

O Hemocentro de Sergipe disponibiliza para o público os serviços de agendamento de campanhas para doação de sangue, cadastro de medula óssea, palestras e visitas técnicas. Para saber como realizar as solicitações basta entrar em contato com o Serviço de Captação de Doadores. A unidade funciona diariamente de segunda à sexta-feira, das 7h30 às 17h. Mais informações através dos telefones: (79) 3225-8000, 3225-8039 e 3259-3174.