Author Archives: hemoseadm

Jovens colaboram com serviço de doação de sangue no Hemose

O serviço de coleta do Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose) recebeu nesta quarta-feira, 27, adolescentes solidárias que estimuladas em ajudar ao próximo, realizaram a primeira doação de sangue. A iniciativa das jovens além de contribuir com os estoques de sangue da unidade destaca a importância de ser um doador de sangue frequente.

Na sala de coleta, Bianca Batista da Silva, 17 anos, doou sangue acompanha pelo pai, Isaías Santos da Silva. “Foi o exemplo do meu pai que me incentivou a ser uma doadora. Ele sempre falou sobre a importância de doar para ajudar as pessoas que precisam de sangue. Estou feliz por vim”, disse.

“Foi o nosso curso da área da saúde que mudou minha visão de mundo. Comecei com a doação de sangue, mas também quero ser doadora de medula óssea e de órgãos”, relatou Danielle Karoline Santana Torquato, que doou junto com a amiga Hellen Cristiny dos Santos, acadêmicas do 8º período de enfermagem na Universidade Federal de Sergipe (UFS).

A assistente social e gerente de Ações Estratégicas da unidade de hemoterapia e hematologia, Rozeli Dantas aproveitou para agradecer e parabenizar a iniciativa das jovens estudantes. “A cada dia percebemos um compromisso maior com a coletividade através de ações individuais e de grupos, que vem ao Hemose doar sangue. Hoje foi inédito, tivemos um ótimo comparecimento do público feminino. Elas estão de parabéns pelo compromisso e solidariedade”, salientou.

Cada voluntário que comparece ao Hemocentro de Sergipe doa no máximo 450 ml de sangue. Uma única bolsa de sangue pode ser fracionada nos seguintes hemocomponentes: concentrado de hemácias, concentrado de plaquetas e plasma, os componentes podem ser utilizados para prestar assistência a pacientes dos serviços de urgência, cirurgias cardíacas, ortopédicas, tratamento oncológico, leucemias, dentre outros.

Serviço

Para ser um doador de sangue é preciso estar bem de saúde, ter entre 16 e 69 anos de idade, ter mais de 50 quilos e apresentar um documento oficial com foto. Os menores de 18 anos precisam apresentar o termo de consentimento assinado pelos pais ou responsável legal. O documento está disponível para download no site do Hemose: www.hemose.se.gov.br. Mais informações através dos telefones: (79) 3225-8000, 3225-8039 e 3259-3174.

 

Hemose: Visita técnica analisa serviços de hemoterapia no hospital de Propriá

A gerência da Hemorrede do Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose) deu início

ao calendário de visitas para inspeções técnicas ao serviço de hemoterapia realizado nos hospitais do Estado. A atividade visa à segurança transfusional aos usuários e o cumprimento das atividades desenvolvidas nessas unidades, conforme a legislação vigente, RDC 34 de 2014, que dispõe de boas práticas no ciclo do sangue e Portaria do Mistério da Saúde nº 5/2017, referente a consolidação das normas nos serviços de saúde.

No Baixo São Francisco, a equipe visitou o Hospital Regional de Propriá São Vicente de Paula. Na ocasião, as gerentes de Pronto Socorro, enfermeira Indnayara de Melo Costa e da Maternidade, enfermeira Maria Antônia Martins, apresentaram livros de registros de controle de entrada e saída de hemocomponentes para transfusão sanguínea, além de registros de administração e monitoramento do procedimento junto aos pacientes.

Responsável pela verificação técnica das atividades e registros do serviço de hemoterapia, o biomédico Jandson Marques Menezes, fez uma avaliação positiva da unidade hospitalar. “O hospital é de média complexidade e tem um volume de atendimento diário de 300 usuários, do Sistema Único de Saúde, somente no atendimento de urgência. O serviço oferecido pelo hospital é de pronto e as hemácias e plaquetas chegam direcionados aos pacientes com reserva cirúrgica”, informou.

Seguindo o roteiro de inspeção, os profissionais da Hemorrede verificam os processos relacionados a transfusão sanguinea, como o preenchimento correto da solicitação nominal de hemocomponentes, aplicação do produto, acompanhamento do paciente e registro de possíveis reações.  “Esse trabalho permite a adoção de medidas de orientação e correção para melhorar o serviço, além de garantir a segurança à saúde da população usuária de sangue como terapêutica em seus tratamentos”, destacou o enfermeiro Rodrigo Damasceno.

Serviço

O Hemocentro de Sergipe coordena e atua na efetivação do Plano Estadual de Sangue no Estado.  Dentre as suas atribuições está à supervisão técnica do serviço de hemoterapia em todas as unidades hospitalares no Estado, onde são realizadas transfusões sanguíneas, também coordena as atividades para promoção a educação continuada dos profissionais que trabalham com o processo de utilização do sangue na rede de saúde.

Hemose: Visita técnica analisa serviços de hemoterapia no hospital de Propriá

A gerência da Hemorrede do Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose) deu início

ao calendário de visitas para inspeções técnicas ao serviço de hemoterapia realizado nos hospitais do Estado. A atividade visa à segurança transfusional aos usuários e o cumprimento das atividades desenvolvidas nessas unidades, conforme a legislação vigente, RDC 34 de 2014, que dispõe de boas práticas no ciclo do sangue e Portaria do Mistério da Saúde nº 5/2017, referente a consolidação das normas nos serviços de saúde.

No Baixo São Francisco, a equipe visitou o Hospital Regional de Propriá São Vicente de Paula. Na ocasião, as gerentes de Pronto Socorro, enfermeira Indnayara de Melo Costa e da Maternidade, enfermeira Maria Antônia Martins, apresentaram livros de registros de controle de entrada e saída de hemocomponentes para transfusão sanguínea, além de registros de administração e monitoramento do procedimento junto aos pacientes.

Responsável pela verificação técnica das atividades e registros do serviço de hemoterapia, o biomédico Jandson Marques Menezes, fez uma avaliação positiva da unidade hospitalar. “O hospital é de média complexidade e tem um volume de atendimento diário de 300 usuários, do Sistema Único de Saúde, somente no atendimento de urgência. O serviço oferecido pelo hospital é de pronto e as hemácias e plaquetas chegam direcionados aos pacientes com reserva cirúrgica”, informou.

Seguindo o roteiro de inspeção, os profissionais da Hemorrede verificam os processos relacionados a transfusão sanguinea, como o preenchimento correto da solicitação nominal de hemocomponentes, aplicação do produto, acompanhamento do paciente e registro de possíveis reações.  “Esse trabalho permite a adoção de medidas de orientação e correção para melhorar o serviço, além de garantir a segurança à saúde da população usuária de sangue como terapêutica em seus tratamentos”, destacou o enfermeiro Rodrigo Damasceno.

Serviço

O Hemocentro de Sergipe coordena e atua na efetivação do Plano Estadual de Sangue no Estado.  Dentre as suas atribuições está à supervisão técnica do serviço de hemoterapia em todas as unidades hospitalares no Estado, onde são realizadas transfusões sanguíneas, também coordena as atividades para promoção a educação continuada dos profissionais que trabalham com o processo de utilização do sangue na rede de saúde.

Arte e Cura Hemofilia integra pacientes em tratamento no ambulatório do Hemose

O projeto ‘ Arte e Cura’ do ambulatório do Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose) realizou nesta sexta-feira, 22, uma atividade de pintura em telas com crianças portadoras de enfermidades do sangue.  O trabalho tem como objetivo contribuir de forma lúdica e interativa para auxiliar os usuários no entendimento sobre a doença e o seu tratamento.

De acordo com a assistente social Andrezza Ribeiro e, a psicóloga Karine Tavares, o projeto com a utilização de recursos audiovisual e pintura contará sempre com participação de familiares dos pacientes. “É uma forma para realizar a troca de experiências sobre os cuidados com as patologias. Outra proposta é permitir que através da pintura as crianças expressem seus sentimentos em relação ao tratamento”, contaram.

A primeira ação do ‘Arte e Cura’, com profissionais e estagiários da equipe multiprofissional do ambulatório do Hemocentro de Sergipe, reuniu os usuários, Pedro Guilherme, 10 anos, que faz tratamento para anemia falciforme e Durval Militão de Araújo, 7 anos, hemofilia. Eles aproveitam parte da manhã, pintando e interagindo com a escolha das cores para utilizar nas telas.

Para os pais é uma oportunidade de conhecer a realidade de outras famílias. “Estou muito satisfeita com esse trabalho, por isso quando decidi trazer meu filho (Durval) também trouxe a irmã dele, Maria Júlia”, disse Ester da Silva. “No início ele ficou com vergonha e depois se soltou com as outras crianças”, comentou Simone Alves, mãe de Guilherme.

 “Através da realização de atividades lúdicas, como a pintura eles podem ampliar o olhar em relação à doença, temos que pensar que a alegria, o bom humor, o sorriso e a felicidade, tudo isso, é saúde. Essa integração entre as crianças em atividades sociais é uma forma para que todos possam sair da rotina do tratamento”, justificou a psicóloga Karine Tavares ao ressaltar a importância da família do paciente.  “O tratamento fica mais leve”, destacou.

Serviço

O ambulatório do Hemose atende, de forma multidisciplinar, pacientes portadores de hemoglobinopatias e coagulopatias em todo o Estado. Talassemia, Anemia Falciforme, Hemofilia, Doença de von Willebrand e de Gaucher, são algumas doenças hereditárias pouco conhecidas da população e com apresentações clínicas específicas.  Mais informações através dos telefones: (79) 3225-8000 e 3225-8046.

Hemose destaca doação de sangue e cadastro de medula óssea em palestra no IFS Socorro

O serviço de doação de sangue o cadastro de medula óssea, foi o tema da palestra desta quinta-feira, 21, no Instituo Federal de Sergipe (IFS) unidade Nossa Senhora do Socorro. A atividade realizada pela gerência de Ações Estratégicas do Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose) contou com a participação de estudantes do curso para Suporte e Manutenção de Informática.

Na ocasião a assistente social, Rozeli Dantas detalhou as condições necessárias para doar e como funciona o processo no Hemocentro, passando pelo cadastro, pré-triagem, triagem clinica, coleta, análise sorológica, testes de fenotipagem e fracionamento do sangue em plaquetas, hemácias e plasma. “A doação de sangue ultrapassa a solidariedade, é uma questão de responsabilidade social que envolve todos, jovens, adultos, mulheres e homens”, pontuou.

A gestora ressaltou que a palestra é mais uma ferramenta utilizada pelo serviço de Captação do Hemose para promoção da consciência da população sobre a importância da doação de sangue. “A parceria com as escolas e instituições de ensino é um instrumento essencial  estamos sensibilizando o público a doar e ser um multiplicador das informações”, salientou.

Em relação ao cadastro de medula óssea Rozeli  Dantas alertou que a chance de encontrar um doador compatível é de uma a cada 100 mil pessoas, por isso a necessidade de ampliar o cadastro e, principalmente, de manter os dados atualizados. “O cadastro é único e as informações ficam armazenadas em um banco de dados no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea, até o indivíduo atingir a idade limite de 55 anos, para fazer a doação da medula”, detalhou ao informar. “O voluntário preenche um formulário com informações pessoais, em seguida é coletada uma amostra com 5 ml de sangue, para testes”, informou.

O professor Lucio Gama Junior, acompanhou os alunos durante a abordagem e comentou que a importância social.  “Essa iniciativa do Instituto é bastante positiva por incentivar  a comunidade a colaborar com esses serviços. É uma atitude de responsabilidade social que apoiamos”, disse.

Critérios

Estão aptos a doar sangue candidatos em bom estado de saúde, idade entre 16 a 69 anos e peso acima de 50 quilos. Já o cadastro para doador de medula óssea é necessário ter entre 18 e 55 anos de idade e não ter doenças infecciosas. Mais informações sobre o serviço através dos telefones: (79) 3225-8000, 3225-8039 e 3259-3174.

 

Acadêmicos de Farmácia visitam Hemose para conhecer serviços

Uma parceria que associa conhecimento teórico com prático reuniu no Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose) acadêmicos do 6º período, do curso Farmácia da Universidade Federal de Sergipe (UFS).  Durante a visita técnica, o grupo conheceu os serviços realizados na unidade como, doação de sangue e atendimento ambulatorial a pacientes portadores de enfermidades do sangue, a exemplo da hemofilia, anemia falciforme, doença de Gaucher e Won Willebrand.

Acompanhados pela assistente social, Rozeli Dantas, os estudantes percorreram o cadastro, pré-triagem, triagem clínica finalizando na sala de coleta, setor onde é doado de 350 a 450 ml de sangue. A segunda etapa da visita foi nos laboratórios onde são realizados testes sorológicos, a separação dos componentes sanguíneos, plaquetas, hemácias e plasma e a dispensação do sangue para rede hospitalar do Estado.

Vale ressaltar que o procedimento da transfusão de sangue é precedido de testes para verificar a compatibilidade entre a bolsa de sangue no estoque da unidade com o receptor, paciente, que receberá o sangue. “São testes para identificar o tipo sanguíneo, fator Rh se é positivo ou negativo, de prova cruzada entre o doador e do receptor”, explicou a biomédica Ana Paula Prata, ao enfatizar que os serviços visam garantir a segurança do paciente.

Já o ambulatório da unidade atende pacientes com patologias do sangue e em tratamento de  leucemias, câncer e anemias crônicas. A enfermeira Elaine Cristina informou que os usuários são encaminhados pela rede de assistência do Sistema Único de Saúde (SUS) para tratamento, que requer equipe multidisciplinar.

“O Hemose é a referência para tratamento de pacientes hemofílicos e falcêmicos. Esse é um grupo que faz uso de medicação como fator de coagulação VIII ou IX, dentre outros. Esses medicamentos são

encaminhados pelo Ministério da Saúde e aqui no ambulatório, eles passam por consultas com médicos hematologistas e demais profissionais, como dentista, fisioterapeuta que fazem o monitoramento da doença e evolução do tratamento”, explicou.

Agendamento

Para realizar os serviços de agendamento para campanhas de doação de sangue, cadastro de medula óssea, palestras e visitas técnicas basta entrar em contato com o Serviço de Captação de Doadores. A unidade funciona diariamente de segunda à sexta-feira, das 7h30 às 17h. Mais informações através dos telefones: (79) 3225-8000, 3225-8039 e 3259-3174.

Hemose: Mulheres da Igreja Internacional da Graça estimulam doação de sangue entre fiéis

O Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose) recebeu nesta terça-feira, 19, o apoio do ministério ‘Mulheres que Vencem’, da Igreja Internacional da Graça de Deus. A ação com cerca de 50 participantes integrou a campanha Março – Mês das Mulheres para promoção e incentivo a doação de sangue entre o público feminino.
Para Josineide Alves de Sousa e Briza Karina Fontes dos Santos, o dia foi para servir ao próximo através da primeira doação de sangue. “É um sentimento de gratidão poder servir, principalmente, quando entendemos a palavra”, disseram. Luiza Valéria Alves Melo Amarante renovou a doação. “Jesus deu seu sangue por nós e podemos retribuir através desse gesto humano com nossos irmãos. Sangue é vida e Deus nos abençoa todos os dias com esse dom, para amar e ajudar uns aos outros”, declarou a doadora do sangue O positivo.
O pastor Vanderlei Duarte líder estadual da Igreja Internacional da Graça de Deus participou da ação coordenada pela esposa, Daniele Duarte. “Essa campanha da nossa igreja acontece em outros Estados e tem como propósito incentivar a doação de sangue entre as fiéis, além de levar a palavra de Deus”, comentou.
Durante o acolhimento a gerente de Ações Estratégicas, Rozeli Dantas, deu as boas vindas ao grupo ao elogiar a ação feminina.  “Essa campanha com a adesão de vocês é muito importante para chamar a atenção de outras mulheres sobre a doação de sangue”, destacou ao salientar. “No decorrer deste mês seguimos com outros momentos para ampliar a doação do segmento feminino no Hemose dos atuais 35% para 45%. Quero lembrar que a mulher não pode doar,  quando está gravida e durante um ano, do período de amamentação”, detalhou a gestora.
A doação de sangue é um ato simples, em que o voluntário deve estar dentro de alguns critérios determinados por normas técnicas do Ministério da Saúde (MS) que visam à proteção ao doador e a segurança de quem vai receber o sangue. Para doar, é necessário está em boas condições de saúde, ter entre 16 a 69 anos de idade, pesar acima de 50 quilos e apresentar  um documento oficial com foto, válido em todo território nacional. Mais informações através dos telefones: (79) 3225-8000, 3225-8039 e 3259-3174.

Palestra sensibiliza funcionários da Vitoria Transportes para doação de sangue

A doação de sangue requer uma boa preparação. Para levar informações sobre o procedimento, a gerência de Ações Estratégicas do Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose) realizou uma palestra na Vitória Transportes, localizada no município de São Cristóvão, para sensibilizar os colaboradores sobre a importância do ato de doar. “Quero iniciar agradecendo o convite da direção que disponibilizou um horário para falarmos com todos vocês sobre a importância desse serviço vital para centenas de pacientes”, destacou Rozeli Dantas.

Durante a palestra, a assistente social enfatizou os critérios necessários para doação. “É preciso está em boas condições de saúde, ter entre 16 a 69 anos de idade, peso superior a 50 quilos e comparecer ao Hemose bem alimentado”, explicou Dantas ao ressaltar que a doação é diferente do exame, de sangue. “Na doação são coletados até 450 ml de sangue e no exame hemograma apenas 4 ml”, detalhou Dantas.

A parte técnica da atividade de conscientização sobre a doação de sangue, a enfermeira Florita Aquino, explicou a importância de não omitir informações relativas à saúde e o fracionamento da bolsa de sangue total em plaquetas, hemácias e plasma, componentes sanguíneos utilizados em cirurgias do coração, ortopédicas e para o atendimento de pacientes com leucemia e em tratamento oncológico. “Com essa sensibilização buscamos doadores regulares, que doem obedecendo aos intervalos, homem a cada dois meses e a mulher a cada três meses”, salientou a gerente de Coleta.

Na ocasião o gerente de Recursos Humanos da Vitória Transportes, Cícero Silva, destacou a necessidade dos cuidados com a saúde. “Esse momento foi importante para mostrar a importância de todos adotarem hábitos saudáveis que são necessários para uma boa qualidade de vida. Esperamos poder contribuir com o serviço e que os colaboradores possam de fato, se interessar e contribuir com a doação de sangue”, comentou.

Parceria

O Hemocentro Sergipe conta com um calendário mensal de atividades que visam aproximar o cidadão do serviço de doação de sangue, esse trabalho conta com a parceria de iniciativas individuais, de grupos e de instituições solidárias que apoiam o serviço. Com esse fim, a unidade disponibiliza agendamentos de campanhas para doação de sangue, cadastro de medula óssea, palestras e visitas técnicas. Mais informações através dos telefones: (79) 3225-8000, 3225-8039 e 3259-3174.

 

Hemose retorna serviço de odontologia para portadores de doenças hematológicas

HEMOSE

O serviço de odontologia do ambulatório do Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose) retoma suas atividades a partir da próxima semana. Nesta sexta-feira, 15, um ato simbólico da entrega de novos equipamentos, com a participação de gestores e profissionais da unidade, marcou a reativação do atendimento de saúde bucal para pacientes portadores coagulopatias e hemoglobinopatias.

A unidade ambulatorial conta com um cadastro de cerca de 350 usuários para tratamento e acompanhamento da hemofilia, anemia falciforme, talassemia, doença de Gaucher e doença de Won Willebrand. O serviço de odontologia realiza os seguintes procedimentos, restaurações com amalgama e resina composta, limpeza, curetagem sub e supra gengival, extrações dentárias, aplicação de flúor, além de consulta sobre técnica de escovação e a correta higiene bucal.

“Esses pacientes passam por avaliação clinica com o médico hematologista, que verifica a necessidade da infusão da medicação que trata os sintomas das doenças. Após esse procedimento o usuário é encaminhado para o serviço de odontologia onde inicia seu tratamento bucal”, explica a odontóloga Sandra Pauferro.

De acordo ainda com Sandra a cavidade bucal é vascularizada o que aumenta as chances de hemorragia. “No caso do paciente hemofílico, para fazer extrações é necessário receber fator de reposição e, mesmo assim, pode ocorrer um sangramento. O uso da medicação é para ter um controle”, detalha a dentista, ao informar que o serviço cumpre protocolos estabelecidos pelo Ministério da Saúde (MS).

Conforme a superintendente da unidade de hemoterapia e hematologia, Erivalda Gonçalves Barreto, o retorno do serviço é fruto da somação de esforços da Fundação de Saúde Parreiras Horta (FSPH) que gerencia a unidade Hemose e da Secretaria de Estado da Saúde (SES). “Os gestores se solidarizaram com as necessidades dos usuários, para agilizar o retorno dos serviços de odontologia e, assim prestarmos um atendimento com mais conforto e humanizado levando em consideração as necessidades de cada indivíduo”, destacou.

Serviço

No ambulatório do Hemocentro de Sergipe o usuário passa periodicamente por avaliações médicas e laboratoriais, para receber transfusões de sangue e infusão de medicamentos. O trabalho é realizado por uma equipe multiprofissional com médicos hematologistas (especialista em sangue), pediatra oncológico, odontólogo, fisioterapeuta, psicólogo, assistente social, farmacêutico, dentre outros, e tem como objetivo controlar as doenças para proporcionar qualidade de vida. O serviço funciona diariamente de segunda a sexta-feira, no horário das 7h30 às 17h. Mais informações através dos telefones: (79)3225-8000 e 3225-8046.

 

Ação de beleza integra mulheres durante doação de sangue

O Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose) realizou nesta quinta-feira, 14, uma ação de beleza destinada às mulheres que compareceram a unidade para colaborar com o serviço. A atividade social faz parte da programação relativa à campanha de Março – Mês das Mulheres, que tem como finalidade ampliar as doações da comunidade feminina dos atuais 35% para 45%.

Adriana Rodrigues da Silva e Maria José Faustino da Silva, que residem no município de Santana do São Francisco, elogiaram a iniciativa. “Tão bom chegar aqui e receber esse tratamento. Isso faz bem pra nossa mente e para o coração, pois somos valorizadas”, disse Silva, doadora do sangue O negativo.

Realizado em dois momentos a ação contou serviços de estética como massagem, revitalização facial, SPA das mãos, além de dicas de cuidados com a pele e maquiagem. A assistente administrativa, Joseilza Bomfim junto com as colegas do laboratório de Produção e Dispensação de Sangue e Hemocomponentes, aprovou a iniciativa. “Essa é uma atitude que mostra a importância com os cuidados diários com o nosso corpo. Isso acaba refletindo diretamente em uma boa doação de sangue”, destacou.

De acordo com a gerente de Coleta, enfermeira Florita Aquino, a ação também é uma forma de homenagear e agradecer as mulheres que estão sempre doando vida através da doação de sangue. “O Hemose tem um público feminino que já doa sangue e, agora queremos despertar o interesse daquelas que ainda não doam. Por isso convidamos todas as mulheres para conhecer o serviço e assim se tornar uma doadora regular de sangue”, justificou ao explicar que cada bolsa tem no máximo 450 ml de sangue e depois de separado, pode salvar até quatro pacientes.

Para se candidatar à doação de sangue é necessário ter entre 16 e 69 anos de idade, estar saudável, bem alimentado e apresentar um documento oficial e com foto. Os menores de idade devem apresentar o termo de consentimento assinado pelos pais ou responsável legal e anexar a cópia de documento oficial com foto do representante legal. O termo de consentimento está disponível no site www.hemose.se.gov.br.

Mais informações sobre os serviços de doação de sangue, cadastro de medula óssea,  palestras e hemotur, através dos telefones: (79) 3225-8000, 3225-8039 e 3259-3174.